15
out
qua
Sabe aquela voz de criança que muitas mulheres fazem ao falar com os cachorros? Existe uma explicação para isso!
Na verdade, um estudo apenas comprovou o que nós já sabíamos: as mulheres vêem os cães como seus próprios filhos. Os pesquisadores analisaram mulheres que têm filhos e cachorros. Ao mostrar fotos das crianças e dos cães separadamente, eles descobriram que o cérebro das mulheres respondiam da mesma maneira para ambas as fotos. Lori Palley do Massachusetts General Hospital, que liderou o estudo, disse: “Os bichos de estimação têm um lugar especial no coração e na vida de muitas pessoas, e existe uma evidência convincente de estudos clínicos e laboratoriais de que interagir com bichos pode trazer benefícios físicos, sociais e emocionais aos humanos.”
Para realizar o estudo, foram selecionadas mulheres que tinham pelo menos um filho com idade entre 2 a 10 anos e um cachorro que estava há mais de dois anos com a família.
A participação foi feita em duas sessões. Na primeira, era feita uma visita à casa da família e a participante respondia a diversas perguntas, inclusive sobre sua relação com o animal de estimação e o filho. Além disso, as mulheres eram fotografadas com o filho e o cão.
A segunda etapa era analisar a reação delas ao ver essas fotos. Isso foi feito através de imagens de ressonância magnética funcional, que indica o nível de ativação de estruturas específicas do cérebro, ao detectar mudanças no fluxo sanguíneo e no nível de oxigênio.
E aí, você concorda com o resultado desse estudo? Seu cachorro é como se fosse seu filho?

Sabe aquela voz de criança que muitas mulheres fazem ao falar com os cachorros? Existe uma explicação para isso!

Na verdade, um estudo apenas comprovou o que nós já sabíamos: as mulheres vêem os cães como seus próprios filhos. Os pesquisadores analisaram mulheres que têm filhos e cachorros. Ao mostrar fotos das crianças e dos cães separadamente, eles descobriram que o cérebro das mulheres respondiam da mesma maneira para ambas as fotos. Lori Palley do Massachusetts General Hospital, que liderou o estudo, disse: “Os bichos de estimação têm um lugar especial no coração e na vida de muitas pessoas, e existe uma evidência convincente de estudos clínicos e laboratoriais de que interagir com bichos pode trazer benefícios físicos, sociais e emocionais aos humanos.”

Para realizar o estudo, foram selecionadas mulheres que tinham pelo menos um filho com idade entre 2 a 10 anos e um cachorro que estava há mais de dois anos com a família.

A participação foi feita em duas sessões. Na primeira, era feita uma visita à casa da família e a participante respondia a diversas perguntas, inclusive sobre sua relação com o animal de estimação e o filho. Além disso, as mulheres eram fotografadas com o filho e o cão.

A segunda etapa era analisar a reação delas ao ver essas fotos. Isso foi feito através de imagens de ressonância magnética funcional, que indica o nível de ativação de estruturas específicas do cérebro, ao detectar mudanças no fluxo sanguíneo e no nível de oxigênio.

E aí, você concorda com o resultado desse estudo? Seu cachorro é como se fosse seu filho?

cachorro-bebe-ensaio-fotografico-snuggles-03cachorro-bebe-ensaio-fotografico-snuggles-05

01
out
qua

Muito tem se falado sobre a adoção de animais como cachorros e gatos. Muitas ONG’S e a própria população tem cobrado arduamente mais punições para quem abandona e maltrata animais, bem como, pedindo, incansavelmente, a adoção daqueles que não tem uma família.

Uma campanha criada pela instituição AMPARA ANIMAL, com a participação voluntária de diversas celebridades, propaga a adoção de muitos vira-latas abandonados. Intitulada, SOMOS TODOS VIRA-LATAS, a campanha vem fazendo sucesso nas redes sociais.

Confira o VÍDEO da campanha clicando AQUI.

IZWqhwi-Imgurvira-lata-320140120191717_cleo

17
set
qua
1

Até os 4 meses de idade

Se ele é órfão
Achou um recém-nascido? A cada duas horas, dê na mamadeira um leite chamado sucedâneo, encontrado em pet shops. Depois que ele mamar, passe no bumbum uma esponja umedecida em água morna – sem esse cuidado, ele não consegue fazer xixi e cocô e pode morrer. Mantenha-o aquecido numa caixa com cobertor. Se estiver frio, coloque uma bolsa de água quente debaixo do cobertor.

Se eles têm mãe
Até os 25 dias, você só precisa manter os panos limpos e ficar de olho para ver se todos estão bem.

Desmame e vermifugação
Por volta dos 25 dias, introduza a papinha de desmame e vermifugue a turminha. Reforce a dose aos 4 meses.

Vacinação
A primeira dose é entre 45 e 60 dias, a segunda, 30 dias depois, e a terceira, depois de mais um mês. Antes delas, o filhote não deve ir para a rua.

Comida
Com um mês, dê ração de filhotes – se eles comerem comida caseira, será difícil tirar depois. Após as refeições, leve o cãozinho até o jornal e elogie cada xixi.

Atenção
Coloque telas nas janelas para evitar que os filhotes caiam e não deixe miudezas no chão.

Dos 4 meses aos 7 anos

Alimentação
Dê ração de filhote até ele completar um ano e evite acostumá-lo a comer petiscos caseiros.

Saúde
Não se esqueça de vaciná-lo anualmente e dar vermífugo a cada 6 meses. Se você não tem tempo de escovar os dentes dele diariamente, fique de olho na presença de tártaro. Escove a pelagem do bichano para retirar pelos mortos.

Castração
Deve ocorrer entre 5 e 6 meses. Isso evita tumor de mama e xixis pela casa. Sem falar no constrangimento do garanhãozinho se agarrar nas pernas das visitas…

Educação
Certos comportamentos que hoje parecem fofinhos no futuro podem incomodar. Se você não quer ser arrastada pela rua, acostume o cão a andar ao seu lado: diga “não” e dê um tranco na coleira quando ele se empolgar. E dê bronca – e não risada! – se ele latir para visitas.

A partir dos 7 anos

Saúde
Cães grandes são considerados idosos a partir dos 7 anos; gatos e cães pequenos só por volta de 14 anos. Fique atenta e comunique ao veterinário se notar apatia, falta de apetite, dificuldade ao urinar, inchaços e caroços, emagrecimento ou ganho de peso sem explicação, vômitos frequentes e dores nas articulações (ao fazer esforço para levantar, o bicho ”chora”).

Exames de rotina
Com o avanço da idade, os bichos podem ter diabetes, catarata, tumores e problemas renais, hormonais ou articulares. Faça exames periódicos para detectar essas doenças – hemograma, exame de urina e ultrassom são de praxe. Quanto antes forem diagnosticadas, maiores as chances de cura.

Importante
Se ele dorme no quintal, coloque a cama num local protegido de friagem. E nada de aposentar as caminhadas e os banhos de sol diários!

A gata ou a cadela vai ser mamãe?

Importante
Antes do namoro, vacine e vermifugue a fêmea (se ela engravidou por acidente, deixe para fazer isso depois do desmame). Ela deve continuar passeando mesmo barrigudinha, mas andará mais devagar e cansará logo.

Cuidados
Como a gravidez dura só dois meses, leve logo a futura mamãe ao veterinário para um checape.

Alimentação
Aos 50 dias de gestação, ofereça à cadela ou gatinha uma ração de filhotes. Rica em cálcio, ela é importante para evitar a eclâmpsia, doença que pode matar a mamãe. Fracione as porções porque o estômago está comprimido pelo tamanho do útero e ela não consegue comer tudo de uma vez. Volte à ração normal depois do desmame.

Parto
Preste atenção e informe o veterinário se o trabalho de parto não começar até o 63º dia, se a bolsa romper e o filhote continuar lá dentro ou se já tiver passado mais de uma hora e nada do próximo filhote nascer.

filhotes