Arquivo da Categoria ‘Pet Saúde’

30
jul
qua

Todo cachorro adora uma carne diferente, uma guloseima que não seja a ração que já estão acostumados. E nós adoramos mimá-los com elas. Mas de uma coisa poucos sabem: eles também adoram cenoura! Isso mesmo: cenoura. E além de poder presenteá-los com uma comida diferente, também colaboramos com a sua saúde.

Os benefícios da cenoura para os cachorros, são tão bons quanto para nós. Fonte de vitamina A, a cenoura colabora para o bom estado da vista e ajuda a ter pelos saudáveis. Além disso, também regula o aparelho digestivo e o sistema nervoso, é ótima para a saúde bucal e ajuda na lactação de cadelas prenhas.

Mas é bom ter cuidado. Escolha sempre cenouras lisas, firmes, sem irregularidades ou rugas e cor uniforme (manchas verdes dão sabor forte e desagradável). Poucos cães podem ter alergia à cenoura, mas acontece. Ah, e lembre-se: excesso nunca faz bem. Alguns também podem vir apresentar prisão de ventre ou diarreia. Qualquer diferença, consulte um veterinário.

84

23
jul
qua

Os animais proporcionam companhia e afeto a pessoas e famílias, mas alguns estudos revelam que cuidar de um animal também traz benefícios para a saúde.

cachorro brincando

1. Diminuição do risco cardíaco
Segundo um relatório da Associação Americana do Coração, ter um animal reduz o risco de doenças cardíacas. Testes determinaram que uma pessoa que sai para passear com seu cachorro cumpre 54% dos níveis recomendados de exercícios diários, favorecendo o funcionamento do sistema cardiovascular. Nesse sentido, pesquisadores da Universidade de Sydney recomendam que as pessoas caminhem com seus cães no mínimo de 150 minutos por semana. Além de manter o coração saudável, a caminhada melhora a disposição.

2. Redução do estresse
Outros estudos sugerem que acariciar um animal reduz os níveis de estresse. Isso ocorre porque, ao passar a mão pelo corpo do animal, nosso organismo libera oxitocina, um hormônio relacionado ao vínculo emocional. Esse processo gera uma sensação de calma e bem-estar em ambos, homem e animal. Da mesma forma, brincar, passear ou interagir com os bichos ajuda a relaxar e a aliviar a tensão mental, o que conduz diretamente ao próximo item.

3. Mais disposição
Enquetes revelaram que quem convive com um animal tem mais disposição, e 82% das pessoas entrevistadas declararam que seu cão ou gato as faz sentir melhor quando estão tristes. Quando brincamos com os animais, os níveis de serotonina e dopamina aumentam, enquanto os de cortisol diminuem, segundo um estudo publicado no British Medical Journal.

4. Fortalecimento do sistema imunológico
Pesquisadores da Finlândia comprovaram outros aspectos positivos da convivência com um animal: na infância, eles ajudam a diminuir o desenvolvimento de alergias e/ou asma. Para demonstrar isso, os pesquisadores acompanharam 397 crianças do nascimento até completarem um ano, registrando a frequência da convivência com animais.
Os resultados indicaram que as crianças que mantinham mais contato gozavam de um sistema imunológico mais forte e corriam menos riscos de sofrer de uma doença respiratória infecciosa.

5. Apoio a diabéticos
Cães podem também podem beneficiar pessoas que sofrem de diabetes. Ocasionalmente, os diabéticos experimentam uma queda do nível de glicose no sangue, mas podem não detectá-la a tempo. No entanto, esses cães podem farejar o odor produzido por essa alteração química e avisar o dono.
Existem até organizações de treinamento de cães para essa finalidade, como a Dogs for Diabetics. Cães treinados podem detectar uma queda no nível de glicose e alertar pacientes diabéticos.

6. Aumento da expectativa de vida
Em geral, a ciência comprova que as pessoas que têm bichos vivem uma vida mais saudável, longa e feliz. Diversas pesquisas estudaram grupos de pacientes que receberam alta de uma unidade coronariana e tinham animais em casa: a taxa de sobrevivência foi maior no primeiro ano.
Para esses pacientes, a ideia de voltar para casa e contar com a companhia e afeto de seus bichos aumentava a sensação de bem-estar, que se traduzia em uma maior expectativa de vida.

7. Aumento da interação social e concentração
De acordo com outros estudos, animais podem ensinar e orientar as crianças que sofrem de transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH), ao criar uma rotina de atividades diárias. Os donos precisam alimentar os animais, banhá-los e levá-los para passear; ocupar-se dessas tarefas pode ajudar as crianças com TDAH a relaxar e a incrementar a interação social, além de aumentar a autoestima.

Um estudo publicado no American Journal of Public Health revelou que a exposição ao ar livre – que ocorre nos passeios com animais de estimação – pode reduzir os sintomas do déficit de atenção nas crianças. Outro benefício consiste em adotar um animal abandonado. Em todo o mundo, instituições e abrigos fazem campanhas para encontrar um novo lar para cães e gatos. É uma forma maravilhosa de se sentir feliz.

Fonte

13
jun
sex

cachorro sorrindo

Se você achar que rir é coisa de humanos, está redondamente enganado. Seu pet também saber rir e expressar toda a sua felicidade. O melhor disso é que este ato pode aliviar o estresse dele, segundo alguns especialistas.

Anos depois, a pesquisadora de comportamento animal Patricia Simonet, do Sierra Nevada College, gravou com sua equipe esse som que, segundo Lorenz, representava a alegria/sorriso de seus cachorros enquanto brincavam e testou o efeito da gravação com 15 filhotinhos.
Resultado: os filhotes  se alegraram muito ao ouvir a gravação, o que comprovou que existe sim uma risada típica entre os cachorros.  Com base neste estudo, o professor de psicologia Stanley Coren, Ph.D. da Universidade de British Columbia mostrou que o talsom é eficaz para aliviar o estresse dos cães.

Konrad Lorenz (ganhador do Prêmio Nobel de fisiologia de 1973) sugeriu que os cães também são capazes de rir. Isso ficava claro para ele quando convidava seus cães para brincar. Lorenz observava que seus pets abriam as mandíbulas, mostravam a língua e abriam a boca quase de orelha a orelha quando ficavam felizes com algumas brincadeiras e gargalhadas de seu dono. Além disso, seguido dessa “aparência de sorriso”, ele notou que seus cachorros também produziam um som diferente.

Anos depois, a pesquisadora de comportamento animal Patricia Simonet, do Sierra Nevada College, gravou com sua equipe esse som que, segundo Lorenz, representava a alegria e o sorriso de seus cachorros enquanto brincavam. Ela testou o efeito da gravação com 15 filhotinhos. Resultado: os filhotes se alegraram ao ouvir a gravação, o que comprovou que existe sim uma risada típica entre os cachorros. Com base neste estudo, o professor de psicologia Stanley Coren, Ph.D. da Universidade de British Columbia mostrou que o talsom é eficaz para aliviar o estresse dos cães.

Por isso, aproveite se pet da melhor maneira possível e vá brincar com ele, pois sorrir é o melhor remédio para todo mundo.