Arquivo da Categoria ‘Mundo Pet’

26
nov
qua

Dizem que o caminho para o coração do homem é o estômago. Mas um episódio em uma corrida de aventura de 700 km no Equador mostrou que o mesmo ditado também vale para os cachorros.

Foi no Campeonato Mundial de Corrida de Aventura. No meio da Floresta Amazônica, quatro atletas suecos sentaram para comer algumas almôndega quando faltavam dois trechos para o fim da prova.

Um cão se aproximou deles e apenas observou a refeição com cara de fome. A equipe dividiu, então, o “prato” com ele.

Foi o suficiente para que o cachorro seguisse os atletas por dezenas de quilômetros, passando por rios, enfrentando correntezas, subindo montanhas e encarando todos os desafios da corrida.

Ao final da prova, junto com os suecos, chegou também o “fiel companheiro” deles, que foi batizado como Arthur e acabou sendo adotado pelos atletas.

Eles levaram o cão ao veterinário para tratar as feridas adquiridas depois de toda a aventura.

Depois, levaram Arthur no voo de volta para a Suéci, onde foi adotado por um dos membros da equipe.

“Vim para o Equador para ganhar o Mundial e acabei ganhando um amigo”, disse Mikael Lindnord, capitão do grupo.

7qqjzo0o8xhvqq4f2aalfniis

15
out
qua
Sabe aquela voz de criança que muitas mulheres fazem ao falar com os cachorros? Existe uma explicação para isso!
Na verdade, um estudo apenas comprovou o que nós já sabíamos: as mulheres vêem os cães como seus próprios filhos. Os pesquisadores analisaram mulheres que têm filhos e cachorros. Ao mostrar fotos das crianças e dos cães separadamente, eles descobriram que o cérebro das mulheres respondiam da mesma maneira para ambas as fotos. Lori Palley do Massachusetts General Hospital, que liderou o estudo, disse: “Os bichos de estimação têm um lugar especial no coração e na vida de muitas pessoas, e existe uma evidência convincente de estudos clínicos e laboratoriais de que interagir com bichos pode trazer benefícios físicos, sociais e emocionais aos humanos.”
Para realizar o estudo, foram selecionadas mulheres que tinham pelo menos um filho com idade entre 2 a 10 anos e um cachorro que estava há mais de dois anos com a família.
A participação foi feita em duas sessões. Na primeira, era feita uma visita à casa da família e a participante respondia a diversas perguntas, inclusive sobre sua relação com o animal de estimação e o filho. Além disso, as mulheres eram fotografadas com o filho e o cão.
A segunda etapa era analisar a reação delas ao ver essas fotos. Isso foi feito através de imagens de ressonância magnética funcional, que indica o nível de ativação de estruturas específicas do cérebro, ao detectar mudanças no fluxo sanguíneo e no nível de oxigênio.
E aí, você concorda com o resultado desse estudo? Seu cachorro é como se fosse seu filho?

Sabe aquela voz de criança que muitas mulheres fazem ao falar com os cachorros? Existe uma explicação para isso!

Na verdade, um estudo apenas comprovou o que nós já sabíamos: as mulheres vêem os cães como seus próprios filhos. Os pesquisadores analisaram mulheres que têm filhos e cachorros. Ao mostrar fotos das crianças e dos cães separadamente, eles descobriram que o cérebro das mulheres respondiam da mesma maneira para ambas as fotos. Lori Palley do Massachusetts General Hospital, que liderou o estudo, disse: “Os bichos de estimação têm um lugar especial no coração e na vida de muitas pessoas, e existe uma evidência convincente de estudos clínicos e laboratoriais de que interagir com bichos pode trazer benefícios físicos, sociais e emocionais aos humanos.”

Para realizar o estudo, foram selecionadas mulheres que tinham pelo menos um filho com idade entre 2 a 10 anos e um cachorro que estava há mais de dois anos com a família.

A participação foi feita em duas sessões. Na primeira, era feita uma visita à casa da família e a participante respondia a diversas perguntas, inclusive sobre sua relação com o animal de estimação e o filho. Além disso, as mulheres eram fotografadas com o filho e o cão.

A segunda etapa era analisar a reação delas ao ver essas fotos. Isso foi feito através de imagens de ressonância magnética funcional, que indica o nível de ativação de estruturas específicas do cérebro, ao detectar mudanças no fluxo sanguíneo e no nível de oxigênio.

E aí, você concorda com o resultado desse estudo? Seu cachorro é como se fosse seu filho?

cachorro-bebe-ensaio-fotografico-snuggles-03cachorro-bebe-ensaio-fotografico-snuggles-05

06
ago
qua

Esqueceram de mim

Por Petjama

Na correria do dia a dia, muitas vezes temos que deixar nossos cachorros sozinhos em casa. Reunimos dicas para que seu cão não sofra tanto ao ficar sozinho.

1) NUNCA diga “tchau”, dê beijos, fale fininho. Isso significa (para ele) que existe alguma situação que está te incomodando, te fazendo sofrer. Consequentemente, ele fica angustiado e poderá chorar, latir, se auto-mutilar, etc. Quando for sair, simplesmente vire as costas e saia. Sem despedidas, sem voltas (para dar uma “espiadinha”), sem dó. Quanto mais “normal” parecer a situação, mais rápido ele se acostuma a ela.

2) Quando voltar espere um pouco para fazer “festinhas”. Caso abra a porta já passando a mão nele, fazendo carinho e pegando no colo, ele ficará te esperando todos os dias, muito ansioso por sua volta. Chegue em casa, troque de roupa, aja normalmente e só aí faça festinha pro seu cão. É tentador, mas você estará fazendo o melhor pra ele.

3) Deixe brinquedos para mastigar, bolinhas e petiscos escondidos. Existem brinquedos inteligentes que fazem com que ele tenha o que fazer por algum tempo. Deixe dois ou três brinquedos “especiais” guardados. Esses brinquedos nunca ficarão a disposição dele o tempo todo. São brinquedos que você brinca com ele, estimula bastante e quando ele estiver doidinho pelo objeto, você guarda.

4) Se puder, deixe uma camiseta sua com ele. Seu cheiro faz com que ele não se sinta tão sozinho.

5) Cuidado com coisas como brinquedos que soltam partes, pelúcia, ossos, etc. Caso ele engasgue com um pedaço, você não estará perto para ajudar. Tire também fios e objetos quebráveis. Desligue equipamentos eletrônicos das tomadas para o caso dele mastigar. O ideal é que você delimite um espaço, assim você diminui os riscos de ele se machucar. Por exemplo, fechar as portas dos banheiros, quarto de hóspedes, enfim.

6) Caso seja filhote, ele deve ficar preso em uma área restrita enquanto não estiver habituado com a nova casa, com a rotina de ficar sozinho e com as necessidades no jornal. Saiba como ensiná-lo a fazer xixi e cocô no lugar certo e aprenda a preparar a sua casa para a chegada do filhote.

Para terminar, fica a dica de lei: crie hábito para diminuir a ansiedade de separação quando seu cachorro for ficar sozinho em casa durante muito tempo. Cães que não conseguem ficar sozinhos entram em depressão, procuram ocupar o tempo destruindo móveis e objetos e fazem besteiras pra chamar a atenção.

download